Neste post vamos relembrar a última rodada do 2º turno e as partidas finais:



12/05/1990 - Jogando no estádio do Arruda com o time reserva,o Santa Cruz perde por 1x0 para o América, sofrendo a segunda derrota na competição. Este jogo marcou a estréia do meia atacante Rivaldo e do meia Válber, das categorias de base, na equipe profissional do Santa Cruz. Nesta mesma data, o Sport vence o Paulistano por 1x0 (gol de Agnaldo aos 34 minutos do segundo termpo) jogando nos Aflitos e conquista a 2ª fase do 2º turno. Forçando uma partida extra para a decisão do turno contra o Santa Cruz, que havia vencido as três fases anteriores. Dos 56 pontos disputados nos dois turnos, o Santa faturou 50 e perdeu apenas 6.




Mesmo dominando o América o Santa não conseguiu driblar a falta de entrosamento e acabou perdendo o jogo por 2x0. Após a partida o treinador Erandir Montenegro elogiou os Juniores: "O teste foi válido, apesar da derrota. Demos oportunidade aos jogadores que pouco atuaram no campeonato, e ainda aproveitamos dois juniores, que jogaram até melhor, entretanto, a falta de conjunto nos impediu de alcançar a vitória. Não quero destacar quem jogou melhor, mas elogiu bastante a atuação do júnior Válber, de 18 anos, jogador de muito talento, desinibido e de muita personalidade. O outro júnior utilizado foi o centro-avante Rivaldo, também de muito futuro."

Escalação do Santa Cruz: Banana; Fernando Lima, Fernando Silva, Barbosa e Cláudio (Luis); Josevaldo, Almir e Ivanildo; Válber, Fernando Lassálvia (Rivaldo) e Ivan Júnior.


20/05/1990 - Santa Cruz e Sport decidem o 2º turno do Campeonato. Ao Santa restava vencer no tempo normal de jogo ou de um empate no tempo normal e na prorrogação para ser o Campeão de 1990. Apesar de conseguir segurar o placar de 0x0 nos 90 minutos, o Sport venceu por 1x0 com um gol de Sérgio Alves aos 7 minutos da prorrogação e venceu o turno, adiando o título para uma melhor de 4 pontos entre as duas equipes.

No início da prorrogação, o técnico Charles Muniz do Sport, tirou Mirandinha e colocou Sérgio Alves, o artilheiro do time na competição (ficou no banco pois vinha de uma contusão), que logo fez o seu 11º gol no campeonato, aproveitando bem um rebote de uma cabeçada de Adriano, chutando sem chances para o goleiro Raul. No segundo tempo da prorrogação, o Santa lutou desesperadamente para chegar ao empate, com 2 minutos Leto foi derrubado por Glauco e os jogadores pediram pênalti, mas o árbitro deu falta fora da área (O ex-árbitro Sebastião Rufino, que estava comentando o jogo para a rádio clube, afirmou que foi falta dentro da área). Na cobrança, Marcão tentou de cabeça, mas foi alto.

Ficha Técnica:
Santa Cruz: Raul; Marinaldo, Marcão, Tanta e Eduardo (Edmundo); Mázio (Fernando Lassálvia), Ataíde e Mazinho; Leto, Marcelo e Wanks.
Técnico: Erandir Montenegro
Sport: Paulo Victor; Valtinho, Aílton, Márcio Alcântara e Glauco; Lopes, Agnaldo e Adriano; Mirandinha (Sérgio Alves), Fábio e Neco (Ramón).
Técnico: Charles Muniz

Árbitro: Aristóteles Cantalice
Auxliares: João José Venceslau e José Araújo
Local: Estádio do Arruda
Renda: Cr$ 4.538,21
Público: 67.421 pagantes







O técnico Erandir Montenegro (sentado) e o preparador físico Marcos (de costas) em conversa com o elenco no dia anterior à decisão.



O troféu já estava em exibição do Arruda. Caso o Santa tivesse vencido, já seria o Campeão Pernambucano de 1990.



 Sérgio Alves chutou entre Marinaldo e Marcão, era o gol do título do turno para o Sport.



Continuação do lance do gol do Sport



Eduardo, Fábio, Marcão, Mázio e Marcelo Rocha de olho no lance.



Marcelo Rocha, Agnaldo e Neco em mais um lance do jogo



O abraço dos goleiros Márcio Melo e Paulo Victor comemorando o título do turno



O meia Ataíde dominou o meio campo, mas acabou expulso aos 4 minutos do 2º tempo da prorrogação, após falta por trás em Ramón.



Torcida do Sport comemora a conquista do 2º turno no Arruda.


23/05/1990 - Começava a decisão do Campeonato em uma melhor de três pontos. O Santa Cruz, por ter melhor campanha, escolheu jogar a primeira partida na Ilha do Retiro e decidir no Arruda. Santa aumentava a sua vantagem e vencia o jogo por 1x0 gol de Mazinho aos dois minutos do segundo tempo.

O jogo foi bastante "catimbado" pelo lado do Sport, principalmente o goleiro Paulo Victor, que fingiu contusão por várias vezes para esfriar o ataque tricolor. Na fase final, logo aos 2 minutos, o Santa Cruz foi para o ataque, a defesa do Sport bobeou, Marcelo Rocha entrou livre e chutou forte, o goleiro Paulo Victor "bateu roupa" e Mazinho que acompanhava o lance, mandou a bola pro fundo das redes.



Marcelo Rocha marcou um gol no primeiro tempo, mas existiam três jogadores do Santa em impedimento e o gol foi invalidado corretamente pelo árbitro.


Ficha do Jogo
Sport: Paulo Victor; Valtinho, Márcio Alcântara, Nenê e Glauco; Lopes, Amaury (Sérgio Alves) e Adriano; Mirandinha (Edmilson), Fábio e Neco.
Técnico: Charles Muniz
Santa Cruz: Raul; Marinaldo, Marcão, Tanta e Eduardo (Cláudio); Mázio, Mazinho e Wanks; Leto, Marcelo Rocha e Edmundo (Fernando Timbaúba).

Cartão Amarelo: Raúl e Tanta (Santa Cruz) e Nenê (Sport)
Local: Ilha do Retiro
Árbitro: José Araújo
Auxiliares: Arlindo Maciel e João José Venceslau
Renda: Cr$ 3.000.324,00
Público: 22.994 pagantes e 2.582 não pagantes (total: 25.576)



Os zagueiros Marcão e Tanta foram impecáveis durante o jogo.



Curiosidades:
* Este jogo marcou a inauguração oficial do placar eletrônico da Ilha do Retiro que foi doado pela empresa Coral. Para registrar ainda mais o acontecimento, o diretor de patrimônio do sport, Cláudio Pacheco, ofereceu um prêmio de Cr$ 10 mil para o jogador que marcar o primeiro gol do clássico. O jogador Mazinho foi o ganhador deste prêmio e ainda recebeu um troféu das tintas Coral;
* O árbitro, os auxiliares e o árbitro reserva do jogo foram escolhidos através de um sorteio realizado no centro do gramado 30 minutos antes do início da partida. Gílson Cordeiro, João José Venceslau (Cuíca), José Araújo e Arlindo Macial foram os nomes selecionados para o sorteio. O árbitro sorteado para a partida foi José Araújo, auxiliado por Cuíca e Arlindo Maciel. Gilson Cordeiro foi o árbitro reserva;
* No final da tarde do dia 23/05/1990 houve uma greve relâmpago dos motoristas e cobradores de ônibus, por isso não houve um grande público para a decisão.


27/05/1990 - O último jogo da decisão. Para ser campeão, o Santa Cruz poderia perder nos 90 minutos e ainda assim teria a vantagem de jogar pelo empate nos 30 minutos da prorrogação. Foi o que ocorreu, o Sport venceu no tempo normal por 1x0, gol do lateral esquerdo Glauco, de falta, aos 29 minutos do primeiro tempo. Ao final do jogo, o Santa Cruz comemorava o seu 21º título Pernambucano, e erguia o troféu "Dom Vital", ofertado pela empresa de mesmo nome, em homenagem aos 150 anos da Associação Comercial de Pernambuco (ACP ).


Foi muita emoção na decisão do título de 1990. A arbitragem foi o lado ruim do jogo. Arlindo Maciel esteve muito confuso durante o jogo, deixou de marcar uma penalidade em Mázio aos 44 minutos do primeiro tempo, quando o Sport já vencia por 1x0. Também consultou o bandeira Gílson Cordeiro e anulou o tento lícito do rubro-negro, aos 3 minutos do segundo tempo da prorrogação. E por último, aos 15 minutos finais, Mazinho, aproveitando um contra-ataque tricolor, chutou na trave, a bola resvalou, entrou na meta de Paulo Victor e voltou. O árbitro não marcou o gol e encerrou a partida naquele momento.


Ficha do Jogo:
Santa Cruz: Raul; Marinaldo, Marcão, Tanta e Eduardo; Mázio, Ataíde e Mazinho; Leto (Fernando Silva), Marcelo Rocha e Wanks (Edmundo).
Técnico: Erandir Montenegro
Sport: Paulo Victor; Valtinho, Aílton, Márcio Alcântara e Glauco (Mirandinha); Lopes, Agnaldo e Adriano; Ramón, Fábio (Sérgio Alves) e Neco.
Técnico: Charles Muniz

Local: Estádio do Arruda
Árbitro: Arlindo Maciel
Auxiliares: Gílson Cordeiro e João José Venceslau
Renda: Cr$ 6.187.840,00
Público: 58.860 pagantes e 3.244 não pagantes (total: 62.104)




A festa da torcida nas sociais do estádio do Arruda.




A festa da torcida na entrada do time em campo



Festa da Torcida no Arruda.



O rubro-negro abriu o marcador aos 29 minutos do primeiro tempo, numa cobrança de falta perfeita do lateral esquerdo Glauco. Enquanto se esperava que Márcio Alcântara chutasse uma bomba, ele deixou para o camisa seis bater com muita categoria, sem chance para o goleiro Raul.



Torcida tricolor invade o gramado após o apito final





A policia teve que entrar em ação para conter a multidão tricolor que queria erguer o troféu

Ex-jogador do próprio Santa Cruz no final da década de 60, Erandir Pereira Montenegro, Paraibano de Bananeiras, aos 44 anos foi o técnico Campeão Pernambucano de 1990. Chorando bastante, abraçado aos jogadores do banco de reservas, Erandir pouco conseguia falar. Logo localizado pelos torcedores que invadiram o gramado, foi necessário que alguns policiais o protegesse: "Foi uma vitória da vontade, do empenho. O time mostrou na prorrogação, que é feito de homens. A conquista desse título é resultado de um trabalho planejado, feito com muita dedicação. Ganhou a equipe de melhor campanha. E ser campeão assim, o sabor é maior." Dizia emocionado.


 
O atacante Mazinho foi o artilheiro do Santa Cruz no campeonato com 16 gols. Natural de Tauá-CE, aos 22 anos, antes de chegar no Santa Cruz jogou no Ferroviário-CE e São Paulo, veio por empréstimo e com passe estipulado em 200 mil dólares (aproximadamente Cr$ 16 milhões). Após o jogo ficou apenas de sunga, os torcedores arrancaram camisa, calção, chuteiras e meiões, todos queriam guardar uma recordação do ídolo.




Os Campeões - Jogadores e Comissão Técnica
* Clique na foto para ampliar




  • Raul Gotti Júnior (São Paulo/SP) - Raul - Goleiro
  • Marinaldo Leitão da Costa (Abaetetuba/PA) - Marinaldo - Lateral direito
  • Marco Antônio de Almeida Ferreira (Santo Antônio de Pádua/RJ) - Marcão - Zagueiro
  • Evandro Sampaio Fróes (Itabuna/BA) - Tanta - Zagueiro
  • José Eduardo Lucca (Catanduva/SP) - Eduardo - Lateral
  • Josemar Araújo Santos (Timbaúba/PE) - Mázio - Meio Campista



  • Ataíde Macedo (Rio de Janeiro/RJ) - Ataíde - Meio Campista
  • Cláudio Souza Santos (Vianópoles/GO) - Cláudio - Lateral Esquerdo
  • Almir Fernando Alves (Recife/PE) - Almir - Meio Campista
  • Josevaldo Francisco Arruda (Recife/PE) - Josevaldo - Zagueiro 
  • José Ivanildo de Freitas (Recife/PE) - Ivanildo - Zagueiro
  • Luís Simplício Barbosa Júnior (Recife/PE) - Luis Simplicio - Ponta



  • Fernando Antônio da Silva Lassálvia (Olinda/PE) - Fernando Lassálvia - Centroavante
  • Edmundo Xavier Bicca (Porto Alegre/RS) - Edmundo - Ponta Direita
  • Bráulio Pimentel de Andrade (Passos do Camaragibe/AL) - Médico
  • Amílton Crócia da Silva (Recife/PE) - Médico
  • Genário Medeiros de Vasconcelos - Peninha - Massagista
  • Berto Thomás da Silva - Berto - Massagista



  • João Batista de Andrade - João de Maria - Massagistas
  • Luís Benedito Correia - Luis - Roupeiro
  • José Freire de Brito Filho - Zezinho - Roupeiro
  • José Wellington da Silva Aranha (Recife/PE) - Leto - Ponta direita
  • Edílson Marcelo Rocha (Penedo/AL) - Marcelo Rocha - Atacante
  • Antônio Wanks Almeida (Tauá/CE) - Wanks - Atacante



  • Emílson Pereira Dias de Souza (Carpina/PE) - Banana - Goleiro
  • Fernando Antônio Lima dos Santos (Maceió/AL) - Fernando Lima - Lateral Direito
  • Fernando José da Silva (Timbaúba/PE) - Fernando Silva - Zagueiro
  • José Fernando Barbosa (Recife/PE) - Barbosa - Meio Campista
  • Sérgio Ricardo Figueiredo (Recife/PE) - Sérgio China - Meio Campista
  • Dílson Jorge Serpa (São João do Ivaí/PR) - Lotti - Meio Campista




  • Ragner Fernandes da Paixão (Recife/PE) - Ragner - Zagueiro
  • Erandir Pereira Montenegro (Bananeiras/PB) - Erandir - Técnico
  • Marcos Antônio de Melo (Recife/PE) - Marcos Melo - Auxiliar Técnico
  • Ayres Moraes Albuquerque (Recife/PE) - Fisicultor
  • Pedro José Nepomuceno (Rio de Janeiro/RJ) - Pedrinho - Auxiliar Técnico
  • Dirceu Menelau - Presidente



  • Gildo Vilaça - Vice-Presidente
  • Natan Alexandrino, Romerito Jatobá, Adílson Silva, José Abílio e Ricardo Cavalcante - Departamento de Futebol



  • Lindomar Ferreira Loiola (Tauá/CE) - Mazinho - Atacante
  • Ivan Silva de Medeiros Júnior (Recife/PE) - Ivan Jr. - Meio Campista
  • Edgar Campos - Supervisor

Outros:
  • Edgley de Souza Lima (Recife/PE) - Edgley - Goleiro
  • * Os Juniores Válber da Silva Costa e Rivaldo Vitor Borba Ferreira, de 18 anos, jogaram uma partida cada.


Poster do Campeão




Estatísticas Finais do Campeonato Pernambucano de 1990

Jogos realizados: 115
Gols marcados: 294
Total geral de público pagante: 466.932 espectadores
Maior público pagante: 67.421 no jogo Sport 1x0 Santa Cruz em 20/05 no estádio do Arruda.
Menor público pagante: 42 espectadores na rodada dupla realizada em 15/04 na Ilha do Retiro entre América 2x2 Estudantes e Santo Amaro 2x1 Paulistano.

Artilheiros:
1) Bizú (Náutico) - 19 gols;  
2) Mazinho (Santa Cruz) - 16 gols;
3) Sérgio Alves (Sport) - 11 gols; ...
6) Marcelo Rocha (Santa) - 7 gols...

Melhores ataques:
1) Sport - 63 gols
2) Santa Cruz - 62
3) Náutico - 54
4) América - 23
5) Central e Paulistano - 21
7) Estudantes - 19
8) Santo Amaro - 17
9) Sete de Setembro - 12

Melhores defesas:
1) Santa Cruz - 13 gols
2) Náutico - 15
3) Sport - 20
4) Central - 24
5) Paulistano - 26
6) América - 36
7) Santo Amaro - 40
8) Estudantes - 49
9) Santo Amaro - 62


Lembranças do jogo:

0 comentários :