Nesta segunda parte, iremos relembrar a tragetória do Santa Cruz no 2º turno do campeonato até a sua penúltima rodada:


25/03/1990 - Santo Amaro 1x2 Santa Cruz, jogo de estréia no 2o turno. O Santa abriu o placar com Sérgio China aos 32 minutos e Alexandre Cruz aos 44 empatou para o Santo Amaro. Aos 15 minutos do 2o tempo, Marcelo Rocha chutou forte para o gol e a bola desviou em Carlos Alberto (o árbitro anotou gol contra), Santa 2x1.


Após o chute de Marcelo Rocha, a bola desvia no zagueiro e engana o goleiro Fernando Lira



No início do segundo tempo, o Santo Amaro teve a chance de virar o jogo, mas Bartô perdeu o pênalti.


Santa Cruz: Raul, Eduardo, Marcão, Fernando Silva e Cláudio; Mázio, Ataíde e Sérgio China; Leto (Luis), Mazinho (Marcelo Rocha) e Wanks.
Técnico: Erandir Montenegro
Santo Amaro: Fernando Lira, Givaldo, Bartô, Carlos Alberto e Clebson; Deoclécio, Mima e Mauro; Carlinhos, Alexandre Cruz e Gilson (Eduardo).
Técnico: Pedro Santana

Local: Estádio dos Aflitos
Árbitro: Ernesto Cavalcante
Auxiliares: Francisco Domingos e Armando Costa Filho
Cartão Amarelo: Sérgio China, Fernando Lira, Givaldo e Carlinhos.
Cartão Vermelho: Deoclécio.
Renda Cr$: 99.520,00
Público: 1.777 pagantes


01/04/1990 - O Santa Cruz vence o Náutico nos aflitos por 2x1 pela 3ª rodada da 1ª fase do 2º turno e completa 10 jogos de invencibilidade no Pernambucano. Os gols aconteceram no 2º tempo, aos 10 minutos Célio Gaúcho tentou recuar a bola para o goleiro Celso e marcou contra, a favor do Santa Cruz. Aos 28 minutos Wanks cruza e Marcelo de Cabeça faz o gol mas o árbitro anula após o bandeirinha assinalar impedimento. Aos 31 minutos Bizú empatou a partida e Mazinho aos 43 minutos, fazia o gol da vitória.



O Goleiro Celso tentou mas não conseguiu defender a bola recuada pelo zagueiro Célio Gaúcho, era assinalado o primeiro gol tricolor, Marcelo Rocha ao fundo, já comemorava.




Fernando Lassálvia cruzava da direita, Marcelo Rocha e Mazinho chegam na bola, mas é Mazinho que, de cabeça, fazia o segundo gol tricolor.



Lance do gol de Bizú (E). Na raça a defesa tricolor se defende (D).



Lateral Marinaldo passando por dois alvirrubros.


Santa Cruz: Raul, Marinaldo, Marcão, Tanta e Eduardo; Mázio (Almir), Ataíde e Mazinho; Luis Simplício, Marcelo e Wanks (Fernando Lassálvia).
Técnico: Erandir Montenegro
Náutico: Celso, Luis Claudio, Flávio, Freitas e Célio Gaúcho; Gena, Augusto e Léo (Ocimar); Nivaldo, Bizú e Marcão.
Técnico: Otacílio Gonçalves.

Renda: Cr$: 975.410,00
Público: 12.207 pagantes e 1.133 não pagantes
Árbitro: Aristóteles Cantalice
Auxiliares: Jair Pereira e Luis Gonçalves.
Cartão Amarelo: Marcelo e Freitas


11/04/1990 - O Santa Cruz vence o Paulistano no Arruda por 2x0, conquista a 1ª fase do 2º turno de forma antecipada e completa a sua 20ª partida de invencibilidade na competição. Para este jogo a diretoria do Santa Cruz solicitou à FPF apenas 6.500 ingressos, o que causou muito tumulto antes do jogo, pois faltaram ingressos para a multidão que invadiu o Arruda. Os dirigentes ainda conseguiram alguns ingressos (694) que sobraram da partida que estava sendo realizada no estádio dos Aflitos entre Sport x América para serem comercializados, mas ainda assim foram poucos. A solução foi dada pelo vice presidente à época, Gildo Vilaça, abrir os portões do Arruda.



Wanks chuta para fazer o primeiro gol tricolor


O chute de Wanks ultrapassa a linha antes do lateral Garapa tirar a bola


Aos 44 minutos surgiu o gol tricolor. Tanta dominou a bola na intermediária, driblou três defensores e, quando chegou à linha de fundo, Wanks antecipou o seu cruzamento e bateu para o gol. O lateral Garapa ainda tentou tirar a bola, mas ela já havia ultrapassado a linha do gol. No segundo tempo, logo aos 8 minutos, Cláudio virou o jogo da esquerda para a direita, Marinaldo dominou a bola e tocou para o artilheiro Mazinho que chutou sem chances para o goleiro Gilberto do Paulistano.

Santa Cruz: Banana, Marinaldo, Marcão (Fernando Silva), Tanta e Cláudio; Mázio, Ataíde e Mazinho; Leto (Fernando Lassálvia), Marcelo e Wanks.
Técnico: Erandir Montenegro
Paulistano: Gilberto (Garapa), Nilson, Noronha, Milton e Garapa; César, Roberto (Everaldo) e Dedé (Cafezinho), Lacrau, Robson e Rogério.
Técnico: Luciano Sabino Pinho

Árbitro: Aristóteles Cantalice
Auxiliares: Jair Pereira e Ernande Carneiro
Cartão Amarelo: Banana, Marcelo, Mílton, César e Roberto.
Renda: Cr$ 348.930,00
Público: 7.194 pagante



15/04/1990 - Mesmo campeão da fase, o Santa Cruz enfrentou o Sport no Arruda com todos os seus titulares e venceu o Sport por 3x0, quebrando um "tabu" de 9 partidas sem vencer o Leão (a última vitória foi por 2x1 no arruda em 01/05/1988).


Os gols foram marcados por Tanta aos 25 minutos do primeiro tempo, após uma cobrança de escanteio de wanks. Mazinho aos 9 do segundo tempo e Cláudio aos 40.



Apesar do jogo ser só para cumprir tabela, o Santa Cruz foi pra cima do Sport



Neste lance, aos 18 minutos do 2º tempo, Marcelo Rocha havia driblado dois zagueiros e o goleiro Paulo Victor, mas o zagueiro Márcio conseguiu tirou o gol. Entrevista do atacante Marcelo após o jogo: "... foi uma pena eu ter perdido aquele gol, acho que seria o gol do fantástico..."



O Zagueiro Evandro Fróes, o "Tanta". Baiano de Feira de Santana, aos 24 anos, eleito o melhor jogador da partida, saiu de campo carregado pelos torcedores ao final do jogo. Em Julho de 1990 (após o Pernambucano) foi vendido ao time do Famalicão de Portugal por 100 mil dólares, transação que trouxe  mais dois jogadores para o Arruda, o eterno ídolo tricolor, o goleiro Birigui e o atacante Augusto, o mesmo que defendeu o Sport.



Santa Cruz: Raul, Fernando Lima (Eduardo), Fernando Silva, Tanta e Eduardo (Cláudio), Mázio, Mazinho e Ataíde, Leto, Marcelo (Fernando Lassálvia) e Wanks.
Técnico: Erandir Montenegro
Sport: Paulo Victor, Didi, Nané, Márcio Alcântara e Glauco, Amauri, Lopes e Neco (Ramon), Mirandinha, Fábio e Vanzela (Adriano).
Técnico: Charles Muniz

Renda: Cr$ 848.100,00
Público: 13.968 pagantes (90% era tricolor)
Árbitro: Gílson Cordeiro
Cartão Amarelo: Tanta, Márcio Alcântara, Lopes, Amauri e Fábio.


22/04/1990 - Já pela 2ª fase do 2º turno, o Santa Cruz vence o Central por 1x0 em Caruaru e completa a 23ª partida de invencibilidade no campeonato.

O gol tricolor saiu aos 15 minutos do segundo tempo. Wanks avançou pelo meio, recebeu a bola e chutou da entrada da área, a bola ainda tocou em Vílson antes de entrar. O goleiro Raul fez apenas uma defesa durante a partida, em uma falta cobrada no primeiro tempo pelo jogador Elinaldo. Toda a equipe tricolor jogou bem, mas Marcão, Tanta, Mázio, Mazinho, Marcelo e Wanks tiveram maior destaque.




Torcida tricolor mostra sua fidelidade ao invadir Caruaru



O goleiro Felinho observa a bola chutada por Wanks entrar no gol.



Pressão do Santa Cruz na área centralina. Felinho tira o perigo.




O atacante Marcelo Rocha sempre voltava para ajudar a defesa.



Santa Cruz: Raul, Marinaldo, Marcão, Tanta e Eduardo (Cláudio); Mázio, Ataíde e Mazinho; Leto (Edmundo), Marcelo e Wanks.
Técnico: Erandir Montenegro
Central: Felinho, Danda, Vilson, China e Chiquinho; Junior, Tenente (Ricardo) e Borçato (Jorge); Luis Carlos, Léo e Elinaldo.
Técnico: Maurício Simões

Árbitro: Arlindo Maciel
Auxiliares: Laerte Marquezine e Ernande Carneiro

Local: Estádio Pedro Victor de Albuquerque (Caruaru)
Cartões Amarelos: Marcão, Marcelo, Mazinho, Borçato, China e Tenente.
Renda: Cr$ 631.640,00
Público: 7.528 pagantes


25/04/1990 - O Sport quebra a sequência de invencibilidade do Santa Cruz na Ilha do Retiro ao vencer por 2x0 com gols de Neco (de pênalti) e Adriano.




Disputa entre Marcelo Rocha e Aílton





Jogadores do Sport entraram em campo motivados para evitar mais um vexame como aconteceu na derrota por 3x0 no último clássico das multidões.



Santa Cruz: Raul, Marinaldo, Marcão, Tanta e Eduardo; Mázio, Ataíde e Mazinho; Leto (Luís Simplício), Marcelo e Wanks (Edmundo).
Técnico: Erandir Montenegro
Sport: Paulo Victor, Didi, Aílton, Márcio Alcântara e Glauco; Lopes, Adriano (Amauri) e Agnaldo; Mirandinha, Fábio (Ramon) e Neco.
Técnico: Charles Muniz

Árbitro: João José Venceslau (Cuíca)
Renda: Cr$ 1.656.190,00
Público: 19.216 pagantes


06/05/1990 - Santa 2x2 Náutico. O empate tirou a possibilidade da briga pela conquista da 2ª fase e consequentemente do campeonato de forma antecipada. O Santa vencia até os 45 minutos do segundo tempo, quando o artilheiro Bizú empatou a partida para o Náutico.

O Santa Cruz abriu o placar aos 3 minutos do primeiro tempo. Eduardo cobrou lateral, Marcelo Rocha ganhou de cabeça a bola passou por Mazinho e Celso, aparecendo Marinaldo para tocar rasteiro e fazer 1x0. Aos 15 minutos, Augusto lançou em profundidade e Nivaldo, na velocidade, ganhou do zagueiro Tanta e na saída de Raul, tocou por baixo para empatar o clássico.
No 2º tempo, logo aos 3 minutos, Marinaldo cobrou escanteio pela direita e Tanta subiu mais que Barros e Freitas para fazer 2 a 1 para o Santa Cruz. A partir desse gol, o tricolor massacrou o alvirrubro e somente o centroavante Marcelo Rocha perdeu três boas oportunidades de marcar. Aproveitando-se de excelente preparo físico, os corais imprimiram um domínio que chegava a causar espanto na torcida do Náutico. Mas quem tem um artilheiro, tem sempre uma arma mortal. Aos 45 minutos, Célio Gaúcho recebeu a bola na esquerda e cruzou para Bizú ganhar de Marcão e Tanta e fazer um golaço de cabeça para empatar a partida em 2 a 2.



Marcelo Rocha deixa Barros caído.



Nivaldo, em posição de impedimento, invade a área, ganha na corrida para Tanta e marca o 1º gol alvirrubro. O árbitro erradamente valida o gol.



Tanta de cabeça, marcava o 2º gol tricolor



Goleiro Raul não consegue defender a forte cabeçada de Bizú, era o gol de empate e o 18º gol do artilheiro isolado da competição.



Leto sofreu forte marcação do lateral Célio Gaúcho (D)



O lateral direito Marinaldo Leitão da Costa marcou o primeiro gol da partida e cobrou o escanteio na cabeça de Tanta, para marcar o segundo gol do Santa. Este Paraense de 26 anos, chegara no Arruda em 1989 vindo do Paysandu. Teve uma atuação brilhante durante os 90 minutos.


Santa Cruz: Raul, Marinaldo, Marcão, Tanta e Eduardo; Mázio, Ataíde e Mazinho; Leto, Marcelo Rocha (Luís) e Wanks (Edmundo).
Técnico: Erandir Montenegro
Náutico: Celso, Flávio, Barros, Freitas e Célio Gaúcho; Gena (Marcão), Muller e Erasmo; Nivaldo, Bizú e Augusto.
Técnico: Otacílio Gonçalves

Local: Estádio do Arruda
Árbitro: José Araújo
Auxiliares: Manoel Pimentel e Jurandir Lins.
Cartão Amarelo: Marcão (Santa), Mázio, Marcelo e Barros.
Renda: Cr$ 1.418.580,00
Público: 20.903 pagantes

09/05/1990 - O Santa Cruz, jogando no Arruda, não encontra resistência do adversário e aplica a maior goleada do campeonato de 1990. 7 a 1 contra o Estudantes de Timbaúba.



Mazinho de pênalti fazia o segundo gol tricolor


Os gols foram marcados por:
1) Cláudio de cabeça as 17 minutos - 1x0;
2) Mazinho de pênalti as 25 minutos - 2x0;
3) Leto aos 28 - 3x0
4) Marcão fez gol contra, a favor do estudantes aos 34 - 3x1.
5) Edmundo fez 4x1, fechando a contagem no primeiro termpo;
6) Mazinho aos 2 minutos do 2º tempo - 5x1;
7) Ivanildo aos 6 minutos - 6x1
8) Mazinho fechou a goleada aos 9 minutos - 7x1

Santa Cruz: Raul, Fernando Lima, Marcão (Fernando Silva), Tanta (Barbosa) e Cláudio; Almir, Ataíde e Ivanildo; Leto, Mazinho e Edmundo.
Técnico: Erandir Montenegro
Estudantes: Van-Van, Gilberto, Stênio, Carvalho (César) e Leno; Feliciano, Vanderlan e Arnaldo; Niel, Taroba (Lino) e Wanderley.
Técnico: Rinaldo Amorim

Árbitro: Gilson Cordeiro
Auxiliares: Laerte Marquezine e Antônio Carlos Ribeiro
Cartão Amarelo:  Marcão, Tanta, Mazinho (Santa Cruz) e Vanderlan.
Renda: Cr$ 40.200,00
Público: 839 pagantes



No próximo post, iremos reviver a última rodada da 2ª fase do 2º turno e as finais do Campeonato. Aguarde...
Lembranças do jogo:

1 comentários :

tonico disse...

cara ,parabéns pelo blog , é massa demais, o melhor de todos sem duvida..