Radialistas: Jayme Cysneiros, Júlio José e Pedro Luís.
Foto: Dpnet - 1989


Mais uma oportunidade para os torcedores do Santa Cruz e amantes do rádio relembrarem a marcante e inesquecível narração de Jayme Cysneiros.

Jayme Cysneiros Sobrinho iniciou a sua carreira como repórter, em 1970, na Rádio Repórter (que depois passou a ser a rádio Globo, hoje extinta), em seguida foi para o Rádio Jornal, juntamente com Ivan Lima e aí iniciou sua carreira de narrador esportivo, tendo porém, trabalhado em seguida nas Rádios Capibaribe, Liberdade de Caruaru e finalmente na Rádio Clube onde iniciou suas atividades em 1978, trabalhando até 1990, ano em que faleceu. Durante sua vida profissional recebeu várias comendas e dentre elas a Bola de Ouro, como o melhor narrador esportivo do Nordeste em 1988.  Saiba mais sobre Jayme Cysneiros.



Ouça os gols de Zé do Carmo, Lotti e Jacozinho pela Copa Brasil de 1986

* Zé do Carmo (Meio campista revelado nas divisões de base do Santa Cruz)
* Lotti (Lateral que veio do goiás por empréstimo durante o Campeonato Pernambucano de 1986 e continuou para a disputa da Copa Brasil)
* Jacozinho (Atacante revelação do CSA/AL, foi contratado em Agosto de 1985, apesar de folclórico, o atacante não teve brilho jogando no Arruda)


07/09/1986 - Santa Cruz 2x1 Palmeiras - Gol de Zé do Carmo 


17/09/1986 - Santa Cruz 2x1 CSA/AL - 1º gol (Lotti)


17/09/1986 - Santa Cruz 2x1 CSA/AL - 2º gol (Jacozinho)



Agradecimentos a Romualdo Marques, Coordenador de Esportes da Rádio Clube de Pernambuco pelo envio destes arquivos que fazem parte do seu acervo pessoal.
Lembranças do jogo:

3 comentários :

André Ayres disse...

Eternas saudades seu jaime,agora tem sua espousa como companheira no seu lado,dona Alice Cysneiros descansou de um CA no ultimo dia 17/07/2012 saudades eternas de duas pessoas maravilhosas.

Mariana Cysneiros disse...

Faço das suas palavras, as minhas André Ayres!!

Fernando César disse...

Em 2006, quando morava em Brasília, entrei em contato por telefone com a dona Alice Cysneiros, que residia em Goiânia. Estava com um projeto de escrever um livro em memória de Jayme. Infelizmente tive que voltar a morar em PE na época e perdi contato com dona Alice. Lendo o comentário do André vejo que ela também faleceu. Puxa, não queria que a memória de Jayme se apagasse... Fernando César.