Para a comemoração dos 85 anos do Santa Cruz, o então Presidente Jonas Alvarenga, montou uma grande equipe, ou melhor, contratou jogadores consagrados para vestir a camisa tricolor, mas na prática, esta equipe não chegou muito longe. Este jogo marcou a estréia dos grandes craques comandados pelo técnico Givanildo Oliveira. Os gols do Santa Cruz foram marcados por: Célio, Toninho (2), Luís Carlos e Marcos Adriano.


Os gols da partida

Meia argentino Mancuso

Atacante Paulinho McLaren, artilheiro do Brasileirão de 1991 pelo Santos com 15 gols.


Volante hondurenho Mário Reys

Zagueiro argentino Almandoz


Resenha do jogo:


Uma festa que pode ser apenas o início de várias outras. Foi pensando assim que os tricolores deixaram o estádio do Arruda, ontem à noite, com a goleada de 5 x 1 do time do Santa Cruz em cima da seleção sub-20 de Honduras, reforçada de cinco jogadores da principal. O show pirotécnico na entrada da equipe coral, foi sintonizado com a vibração dos torcedores na arquibancada e com a atuação dos jogadores.

Dentro de campo, a qualidade técnica prevaleceu sobre a falta de melhor entrosamento e postura tática. Isto ficou bastante claro desde o início do jogo, com belas tabelinhas, toques de primeira, saídas rápidas e envolventes. A seleção hondurenha mostrou uma certa lentidão, talvez causada pela viagem de mais de 15 horas, e tentou jogar aberta contra os tricolores. Azar dos compatriotas de Mário Reyes, que tiveram seu meio-de-campo totalmente envolvido pelo do Santa. No ataque, Honduras levava perigo nas bolas cruzadas na área, um pouco pela falta de entrosamento de Almandoz e Eleomar, no miolo de zaga coral,mas também pelas qualidade do rápidos Suazo e Bengoche.

Passado o susto, Toninho, Luiz Carlos, Célio e Paulinho McLaren começaram a colocar os hondurenhos na roda, com lindas tabelinhas. Foi assim que Luiz Carlos quase abre o placar, aos oito. Dois minutos depois, o artilheiro de 95 levou perigo novamente, depois de grande jogada de Toninho. A seqüência de bonitas jogadas continuou e até Wellington, que não vinha bem nos jogos do Estadual, se redimiu e teve uma boa atuação.

O gol parecia cada vez mais perto de acontecer, até que Mancuso roubou uma bola no meio-de-campo e tocou para Luiz Carlos que invadiu a intermediária hondurenha, passou por dois defensores e deixou Célio de frente para o goleiro. O baixinho chutou firme, no canto esquerdo, e incendiou a já empolgada torcida tricolor.

PRESSÃO
- O ritmo continuou o mesmo com total pressão do Santa. A partir daí, Toninho roubou a festa dos estreantes e passou tomar conta do jogo. Aos 31, o meia pegou a bola no campo tricolor arrancou para o ataque, enfileirou alguns adversários e enfiou para Célio, na direita, que cruzou para Paulinho McLaren. O atacante perdeu o gol, mas Toninho pegou o rebote e tocou com categoria no cantinho: 2 x 0.

Dois minutos depois, Toninho recebeu na linha de meio-de-campo, levantou a cabeça e descobriu Luiz Carlos na entrada da área. A bola foi no pé de Luiz Carlos que dominou, fez que chutava forte e deu um lindo toque de cobertura, deixando o goleiro Caballero na saudade: um gol de placa. Para mostrar que não estava morto, o time hondurenho foi ao ataque e, numa triangulação, Suazou entrou livre e foi derrubado por Marcos Adriano. Clavasquín cobrou e descontou.

No segundo tempo, mal o árbitro apitou o início, o Santa Cruz foi logo marcando. Com trinta segundos, Marcos Adriano recebeu na esquerda e chutou forte com um efeito que traiu o goleiro e foi morrer nas redes hondurenha. No mesmo ritmo do primeiro tempo, os tricolores continuaram envolvendo os adversários. Aos 3, Reyes, Paulinho e Luiz Carlos armaram uma tabelinha e Luiz Carlos quase marca.

Aos 12, o maior nome da partida fez mais um. Toninho recebeu um cruzamento e tocou de cabeça para fazer 5 x 1. Depois disso, começaram as substituições e o ritmo da partida passou de um frevo de rua para um frevo canção. O fim de uma festa que, para a torcida tricolor, pode ser a do início de um momento para o Santa Cruz.
Lembranças do jogo:

0 comentários :