Jogo válido pela 10ª e última rodada do 2º turno do Campeonato Pernambucano de 1999.

Diante de 54.700 pagantes no Arruda, o Santa Cruz quebrava dois tabus:
  • A invencibilidade de 49 partidas do Sport em jogos do Campeonato Pernambucano;
  • Há 16 partidas (Quase 3 anos) não vencia o Sport.
O Sport era o atual tri-campeão e defendia uma invencibilidade de 49 partidas pelo campeonato Pernambucano, além disso, defendia também uma invencibilidade de quase 3 anos sem perder para o Santa Cruz, a última derrota acontecera em 07/04/1996 na Ilha do Retiro, em jogo válido pelo Pernambucano, onde o Santa Cruz venceu por 1x0 gol de Alexandre em cobrança de falta. Desta partida em diante, foram realizadas 16 partidas, com 10 vitórias do Sport e 6 empates.


Vídeo

Melhores momentos da partida
Assista o vídeo no UOLMAIS



O volante Argentino Alejandro Victor Mancuso, aos 30 anos, capitão da equipe tricolor. Começou a carreira no Velez Sarsfield, onde foi profissionalizado. Depois transferiu-se para o Boca Juniors, indo dali para a Seleção Argentina. Disputou a Copa do Mundo de 94 nos Estados Unidos e somente não foi à de 98, na França, porque ao lado do também volante Redondo, do Real Madrid, negou-se a obedecer à determinação do técnico Daniel Passarella, de cortar a vasta cabeleira. Assim, não foi convocado. Foi campeão Brasileiro pelo Palmeiras em 1993 e Carioca pelo Flamengo em 1995.


O zagueiro Argentino Héctor Almandoz, aos 29 anos, assim como Mancuso, também começou a carreira no Velez Sarsfield, onde foi campeão argentino, da Libertadores e mundial interclubes. Na decisão da Libertadores em 93, em São Paulo, ele marcou o penúltimo gol na cobrança de pênaltis, quando o Velez derrotou o time brasileiro. Almandoz jogou 18 vezes pela seleção Argentina.


Atacante Camanducaia (ex-Santos e São Paulo), aos 24 anos, fazia a sua estréia no Santa Cruz.


O meia-atacante Luís Carlos foi o artilheiro do Campeonato Pernambucano de 95 com 27 gols e depois transferiu-se para o Paraná, onde defendeu o Paraná Clube e o Atlético. Comprado pelo São Paulo no início de 1998, não teve a mesma sorte no Morumbi e acabou emprestado ao Internacional e ao Goiás. Em 1999 voltou por empréstimo para defender o Santa Cruz mas não teve o mesmo brilho, apesar de ter marcado alguns gols importantes.


O goleiro Marcelo Martelote, campeão Pernambucano de 1993, voltou ao clube em 1999 com brilhantes atuações. Resenha sobre o goleiro após o jogo (Foto Coralnet/2007):
"Que Marcelo é um bom goleiro, todo mundo sabia. Que ele é milagroso, descobriu-se ontem. Só a palavra "milagre" explica a atuação do goleiro do Santa Cruz, ontem, no Clássico das Multidões. Milagre quando salvou a cabeçada de Nildo, logo no primeiro tempo. Milagre ao voar e defender a bola chutada por Nildo, lá no canto superior da trave, no segundo tempo. Milagre ao segurar o chute de Leonardo, que todos achavam que ia encobri-lo, também no segundo tempo."


ATUAÇÕES


Santa Cruz:

Marcelo - Fez duas defesas espetaculares e garantiu a vitória do Santa Cruz. Teve uma partida quase sem falhas e foi o herói do jogo. 9,5
Arley - Partida regular. Mostrou habilidade mas pecou em alguns passes e na maioria dos cruzamentos. Tem grande potencial. 5,5
Eleomar - Seguro, principalmente quando estava em desvantagem numérica. Não brincou e quando precisou mandou a bola para o mato. 7
Almandoz - Começou mal e falhou pelo menos duas vezes no primeiro tempo. Mas depois, a raça prevaleceu e ajudou a garantir o 1 x 0. 6,5
Felipe Alvim - Não foi a estréia que a torcida esperava. Faltou a perna esquerda na hora dos cruzamentos. No começo do jogo, Saulo recebeu muitas bolas nas suas costas. No segundo tempo melhorou mas acabou expulso com uma falta violenta. 4,5
Hélder - Um guerreiro na cabeça-de-área. Dos estreantes foi o que saiu melhor. Pela partida de ontem, merece a vaga de titular. 7,5
Biliu - Desarmou muito bem mas passou mal. 6
Joca - Entrou no lugar de Biliu e não mudou muita coisa. 6
Mancuso - Jogou como nos velhos tempos. Combateu e correu muito. Chamou a responsabilidade para si. 8,5
Luís Carlos - Fez o gol. Não estava nos melhores dias, mas depois de sua saída o time caiu de rendimento. 7
Wellington - Entrou para tapar o buraco depois da expulsão de Felipe. Não comprometeu. 6
Camanducaia - A torcida esperava mais. Correu bastante mas errou na única chance de gol. 6
Toninho - Jogou pouco tempo. Mesmo assim, segurou a bola e criou boas jogadas. 6,5
Valdo - Fez um belo lançamento para o gol de Luís Carlos. Só. Acabou expulso - 4

Sport:

Bosco - Não teve culpa no gol e ainda fez uma grande defesa no final do jogo. 7,5
Saulo - Começou muito bem. Depois da expulsão de Márcio teve que se segurar mais na defesa. 7,5
Márcio - Vinha bem mas perdeu a cabeça e acabou expulso. Prejudicou o time e sobrecarregou os companheiros. 4
Sandro Blum - Continua mantendo a boa regularidade. Teve que se desdobrar para suprir a ausência de Márcio e ainda tentou subir ao ataque. Teve uma chance de marcar um gol de cabeça. 6,5
Juninho Rodrigues - Boa partida. Apoiou e tentou ir a linha de fundo, principalmente no primeiro tempo. Também esteve bem na defesa e o Santa Cruz pouco criou no seu lado - 7
Gutemberg - Muita raça, principalmente, quando teve que jogar de zagueiro durante o final do primeiro tempo e todo o segundo. 6,5
Wallace - Jogou praticamente todo o jogo como volante e ainda foi ao ataque em alguns momentos. Cansou um pouco no final. 6
Juninho Petrolina - Buscou o jogo e foi o atacante mais efetivo do time. Faltou o gol. 7
Leandro - Entrou, correu bastante pela esquerda mas não chegou ao mesmo nível de Juninho. 6
Nildo - Não teve a mesma atuação dos outros clássicos e ainda perdeu um gol na cara do goleiro. 5
Leonardo - Até que começou bem mas sentiu a gripe e o seu rendimento caiu. Mesmo assim, arriscou vários chutes e dribles. 6
Cris - Teve boa movimentação mas continua perdendo gols fáceis. No segundo tempo saiu para dar lugar a Velásquez. 5
Velásquez - Poderia ter se tornado o herói do time mas perdeu a única chance que teveno finalzinho da partida. Mostrou visão de jogo, só que ainda está lento. 5

Curiosidade:

Atualmente o meia Mancuso é o braço direito do técnico da Seleção Argentina, Maradona.


Mancuso e Maradona durante treino da Argentina em 2009
Lembranças do jogo:

0 comentários :