Neste jogo não ocorreu uma vitória do Santa Cruz, mas vale a pena ouvir este gol, pelo fato de ter sido marcado por um dos atacantes mais lendários do futebol Pernambucano, trata-se do atacante BIZÚ.

Campeonatos em que foi artilheiro:

1989 - Artilheiro do Pernambucano com 31 gols (Uma das 7 maiores marcas do campeonato);
1990 - Artilheiro do Pernambucano com 19 gols;
* 1990 - Artilheiro da Copa do Brasil com 7 gols;
* O Náutico foi eliminado nas semi-finais pelo Flamengo, até lá o Náutico eliminou o Treze/PB, Ceará e o Clube do Remo/PA.
.
Curosidade: Quantos jogadores das equipes de Pernambuco conseguiram ser artilheiros de competições nacionais?

Segue a Lista:

1973 - Ramon - Santa Cruz (Brasileiro da 1ª divisão) - 19 gols;
* 1981 - Fabinho - Santo Amaro (Brasilero da 3ª divisão - Taça de Bronze) - 5 gols;
1990 - Bizú - Náutico (Copa do Brasil) - 7 gols;
1996 - Maurício Pantera - Santa Cruz (Brasileiro da 2ª divisão) - 13 gols;
2005 - Reinaldo - Santa Cruz (Brasileiro da 2ª divisão) - 16 gols;

* O time do Santo Amaro foi o vice-campeão, chegando a final eliminando os times (Auto Esporte/PB, Baraúnas/RN, Izabelense/PA e o Guarani/MG), disputando a final com o time do Olaria/RJ onde perdeu o 1º jogo por 4x0 jogando no Rio de Janeiro e venceu o 2º jogo jogando no Arruda por 1x0.


Atacante Bizú com a camisa Alvirrubra, foto de 1992.



.
Paulo Leme (Náutico) deixando o zagueiro Júnior Cordel no chão.
Ficha Técnica:
Náutico: Marco Aurélio, Jecimar, Paulo Roberto, Araújo e André; Fernando, Niquinha (Cléber) e Paulo Leme; Catende, Bizú e Alex Mael.
Técnico: Levi Gomes.
Santa Cruz: Isaías; Marco Antônio, Júnior Cordel, Paulo César (Freitas) e Quinho; Bianor, Carlos Marrom e Henágio; Célio (Dias), Washington e Joãozinho.
Técnico: Duque
Árbitro: Irani Pinto
Auxiliares: João José Venceslau e Valdomiro Matias
.
Em 23/07/2009 o Jornal do Commercio fez uma matéria sobre o atacante Bizú, segue alguns trechos:
.
"... Bizu não foi revelado pelo Náutico. Chegou aos Aflitos como um estranho. No Brasileiro de 87, o ex-atacante era reserva do Palmeiras. Num duelo contra o Santa Cruz, no Arruda, Bizu saiu do banco e fez os dois gols da vitória alviverde, por 2x1. A partir daí, a diretoria alvirrubra abriu negociação e o contratou para a disputa da Série B, em 1988. O Náutico conseguiu o acesso à Série A, foi campeão pernambucano em 1989 e artilheiro do Estadual.
.
A partir daí, Bizu passou a ser tratado como ídolo. Especialmente por sempre deixar sua marca diante do Leão. "Foram tantos gols importantes que fica difícil destacar. Lembro de um, em 1994, na minha segunda passagem pelo Náutico, que marquei cobrando falta na Ilha do Retiro. Foi importante", conta Bizu, que teve uma rápida passagem pelo Sport, no ano anterior. "Mas foi uma passagem rápida. Minha ligação é muito maior com o Náutico". .
Sobre o presente, Bizu, que se formou em educação física e construiu um Centro Esportivo em Caxias do Sul, está preocupado com a situação do clube que aprendeu a amar. "O Náutico atravessa um momento complicado. O Campeonato Brasileiro é difícil e a equipe não mostrou um bom futebol. Vou torcer para que o time vença o clássico e comece uma virada na competição", disse. ..."

Narração: Adílson Couto / Rádio Jornal AM de Recife
Reportagem de Campo: Pedro Silva
Lembranças do jogo:

0 comentários :